Hoje, quem faz um blog faz um túmulo.

Por isso chamo o meu de arquivo: a função dele não é mostrar, mas guardar o que faço. Portanto, usar o nome arquivo para nomeá-lo marca o momento em que se tornou claro para mim esse aspecto do meu site como uma gaveta. E tornar visível o que essa gaveta guarda não é responsabilidade dela, é óbvio. É minha. Deveria falar então sobre o que nos trouxe até aqui, e por onde essas coisas andaram, se andaram, até entrarem gaveta adentro.

(mas e se a gaveta falar sobre ela mesma?)