André Vargas <andrevargasantos@gmail.com>  23 de julho de 2018 18:45
Para: “Jandir Jr.” <mailexpressivo@gmail.com>

Tivemos uma crítica negativa de caminhar Ão o que é positivo… Ao se pensar que foi feita por um amigo do irmão do Tunga, que fez com que este falasse com a direção do museu e chegasse, então, Janaína.

Aeeee!

Eles não entendem nada, porque também estão caminhando e estão caminhando até agora naquela sala de exposição!

Dia desses te conto melhor.

 

 

 

___

– Valendo, valendo! Vai lá…

– São dois caras, meio com um paletó marrom, um terno, um negócio assim… descalços, que ficam andando num… num num… assim… em meio que… em ziguezague, entre as pessoas e as obras, pisando… andando meio rápido, pisando meio pesado, como se fosse uma coisa… como se fosse uma performance pra perturbar o… o espectador de alguma forma. Tipo… é uma coisa que eles ficam… aí de vez em quando eles batem uma palma alta e continuam andando. Cabô. É isso.

– É uma… é uma performanc…

– Mas isso constante! Constante.

– Constante.

– Sem parar.

– Eles chegam a encostar nas pessoas ou não?

– Não. Eles passam bem perto…

– Como é que eles são? Fisionomia deles?

– Ah, cara… são dois carinhas jovens lá, meio com cara de estudante de arte, sacou?

– Tá.

– É… e…. e…. passam bem perto. Se você tá em frente a uma obra, ele passa entre você e a obra. Passa na tua frente, assim… tipo…

– Sei… Não é agradável.

– … andando rápido. É, parece que é uma coisa provocativa…

– Porqu… Ahn, entendi.

– … Uma performance pra te…. te…. pertubar. Cê fica até meio encabulado de olhar pros caras, entendeu?

– Uhum.

– Eles ficam andando olhando… olhando pro infinito, assim… sacou?

– Valeu.