Com quatro pedras de barro colhidas próximas de um rio, com um tecido dourado e sem calçados. Proponho a Jandir Jr. que deite em praça pública, no Largo da Carioca, Rio de Janeiro, local de circulação pretéritas de pessoas negras escravizadas. O tecido dourado está a cobrir seus olhos e o sol espalha seu brilho até o chão. A performance dura 20 min.

Exercício elementar de vitalidade é uma série de ações que proponho a mim e a outras pessoas (artistas ou não) com intuito de exercitar a vida  por meio de situações tais como deitar, respirar, cavar, construir, comer entre outras. Ações vitais/elementares que envolvem a existência do ser vivo de pessoas negras no mundo.

A realidade brasileira aponta para o corpo negro como aquele que provavelmente será encontrado um dia morto, trabalhando em regimes escravistas, dormindo em ruas e cantos, preso ou lixado em praça pública. Essa ação com Jandir Jr. revive o gesto elementar de deitar não morto, mas com o sol percorrendo a vida do corpo e se espalhando ao seu redor. A escolha do primeiro exercício ser com Jandir Jr. foi por ele já realizar a performance “convido a apresentarem propostas de trabalhos em arte a ocorrer em mim”.

Exercício elementar de vitalidade I (com Jandir Jr.)

Largo da Carioca/ RJ, 14 de maio de 2018

Fotoperformance

por Max William Morais