20 tiras de papel foram recortadas. Na primeira delas escrevi
a saudação comumente dita em brindes: à vida. A segunda
tira foi dada à outra pessoa, que teve o objetivo de copiar o
escrito na primeira tira da forma mais próxima possível a que
foram desenhadas as letras. Munido dessa cópia e da terceira
tira em branco, eu entreguei a outro para que este executasse
outra cópia rigorosa. E assim, sucessivamente, como na
brincadeira telefone sem fio, o processo foi conduzido até
que a décima nona tira estivesse preenchida. A cópia da
vigésima tira foi realizada novamente por mim, para fechar
este ciclo. Deste processo surgiu o desenho aqui descrito.

 

Tim tim| 2011 | Nanquim, caneta esferográfica e grafite sobre papéis | 21 x 6 cm. cada